Clipping EGA – 02/04

Voltar ao Blog

Clipping EGA – 02/04

Chegamos ao fim de março e início de abril. Neste domingo, 04/04, é celebrada a Páscoa, feriado religioso que reúne famílias ao redor do mundo. Porém, no Brasil, o cenário atual de aumento de mortes por COVID, chama a atenção para estas possíveis reuniões familiares.

É possível afirmar hoje que o Brasil concentra um terço das mortes diárias por COVID no mundo, mesmo com 3% da população mundial. Além disso, morreu mais gente em março no Brasil do que na pandemia inteira em 109 países, que soma 1,6 bilhão de habitantes.

Além disso, dados oficiais de hospitais brasileiros apontam que o número de mortes por covid-19 já pode ter passado de 443 mil, quase 120 mil a mais que as estatísticas divulgadas pelo governo Bolsonaro. A mesma estimativa aponta que morrem cerca de 4.000 pessoas por dia no país. Todos devem ficar atentos e se protegerem da contaminação do vírus.

Iremos direto ao clipping EGA da semana:

1) ‘Previsões sobre impactos ao comércio exterior brasileiro são prematuras’, diz Centronave

O Centro Nacional de Navegação Transatlântica (Centronave) alertou que qualquer previsão sobre o impacto do encalhe do Ever Given em Suez para a cadeia global de suprimento e do comércio exterior brasileiro, é muito prematura e incompleta, neste momento. A entidade, que reúne as 19 maiores empresas de navegação de longo curso atuando no Brasil, afirma que as principais rotas marítimas que ligam o Brasil a seus parceiros comerciais são diretas e não transitam pelo Canal de Suez.

O porta-contêineres de 400 metros de comprimento, 60 metros de coca e 200 mil toneladas de porte bruto, encalhou no Canal de Suez, no Egito, na última terça-feira ( 23). A autoridade local informou que o incidente ocorreu devido a uma tempestade de areia e a ventos muito fortes. O cargueiro encalhou diagonalmente no canal, impedindo o fluxo de navios e o transporte marítimo naquela passagem. Com 195 quilômetros de extensão, o Canal de Suez é responsável por conectar o Mar Mediterrâneo ao Mar Vermelho e representa a rota mais curta do comércio marítimo internacional entre a Ásia e a Europa.

2) Navegação interior e apoio marítimo se destacam na primeira reunião do CDFMM em 2021

Os segmentos de apoio marítimo e navegação interior foram os destaques da 46ª reunião do Conselho Diretor do Fundo da Marinha Mercante, realizada no último dia 18 de março. No primeiro encontro ordinário do CDFMM em 2021, o conselho aprovou um total de R$ 518 milhões, a serem financiados em projetos do setor naval com recursos do Fundo da Marinha Mercante (FMM). Os valores destinados à navegação interior são voltados para a construção de embarcações para comboios fluviais, além de atualizações monetárias de projetos priorizados em reuniões anteriores. No apoio marítimo, as prioridades foram aprovadas para projetos para construção, reparo e conversão de embarcações.

3) Estaleiros coreanos se recuperam com novas encomendas

As companhias de navegação estão se preparando para regulamentações de combustível marítimo que exigirão navios ecológicos. A Coreia possui tecnologia avançada e um histórico de entregas bem-sucedidas, o que lhes dá uma vantagem sobre os concorrentes chineses, que por sua vez podem competir nos preços.

Entre janeiro e março, os três maiores estaleiros da Coreia fecharam negócios no valor de US$ 11,8 bilhões, um grande salto de US$ 2,1 bilhões sobre o mesmo período em 2020.

4) O que podemos aprender com o encalhe do ‘Ever Given’

No dia 23 de março, o “Ever Given”, um enorme navio porta-contêineres da classe Golden, encalhou diagonalmente no Canal de Suez, uma das vias navegáveis mais movimentadas e importantes do mundo, porta de entrada para a movimentação de mercadorias entre a Europa e a Ásia, que representa 13% do comércio mundial. A embarcação finalmente voltou a navegar depois de ficar seis dias parada, impedindo o transporte em ambas as direções através do canal e custando à cadeia de suprimentos global mais de US$ 52 bilhões. A causa fundamental do incidente ainda está sob investigação, mas a situação geral provocou importantes discussões a respeito dos riscos que envolvem o transporte marítimo.

Entende-se por avaria grossa toda despesa extraordinária decorrente de dano causado ao navio ou à carga, a fim de evitar um mal considerável ao transportador marítimo e ao proprietário da carga. As empresas proprietárias de cargas nem sempre conhecem as regras contratuais a que estão sujeitas por adesão ao documento de navegação do comércio exterior conhecido como Bill of Landing (BL). Entre seus termos, está a imposição universal de que, caso o navio passe por uma situação adversa em que for decretada e ratificada avaria grossa, o proprietário da carga está obrigado a contribuir proporcionalmente pelas despesas geradas pela ocorrência.

5) Setor portuário encerra 2020 com 239 instalações portuárias autorizadas

O setor portuário nacional encerrou 2020 com 239 instalações portuárias autorizadas, das quais 195 Terminais de Uso Privado (TUPs), 40 Estações de Transbordo de Cargas (ETCs) e quatro Instalações Portuárias de Turismo (IPTur).

Além desses números, atualmente há 116 contratos de arrendamento vigentes e 37 transitórios. É o que aponta relatório elaborado pela Antaq e encaminhado para o Ministério da Infraestrutura no dia 25 de março.

O relatório traz também uma evolução dos últimos quatro anos da quantidade de instalações portuárias no Brasil. Destaque para os TUPs. Em 2017, eram 165. No ano seguinte, 177. Em 2019, esse número foi para 193, chegando a 195 no ano passado.

6)Camex zera Imposto de Importação de mais 65 produtos para combate à Covid-19

O Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) do Ministério da Economia zerou temporariamente o Imposto de Importação de mais 65 produtos usados para o combate à pandemia do novo coronavírus. Os itens – que incluem medicamentos e equipamentos – passam a integrar a lista de reduções tarifárias de que trata a Resolução Gecex nº 17, de 17 de março de 2020.

A decisão contempla medicamentos para alívio de dor, sedação, intubação e respiração artificial, entre anestésicos, calmantes, analgésicos e antibióticos. A medida também abrange monitores para leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), equipamentos para análise de gases respiratórios e central de monitoração para UTI adulto, além de carrocerias e caminhões-tanque para transporte de cargas perigosas, como oxigênio.

A redução foi aprovada pelo Gecex em reunião, nesta segunda-feira (29/3), a partir de pedido do Ministério da Saúde, e entrará em vigor um dia após a publicação de resolução no Diário oficial da União, prevista para esta terça-feira (30/3).

7) Armadora Hamburg Süd projeta crescimento em 2021

Mesmo com os reflexos da pandemia da covid-19 sentidos em todo o mundo, as perspectivas são boas para as operações marítimas no Brasil. A armadora Hamburg Süd prevê um crescimento de cerca de 5% nas exportações e de até 6% nas importações neste ano. Mas a companhia de navegação também adverte para a necessidade de revisão de processos do setor no país.

8) Mapa publica novos procedimentos para ampliar as exportações de amendoim

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou nesta quinta-feira (25), no Diário Oficial da União, a Instrução Normativa Nº 126, que regulamenta os critérios e procedimentos para a certificação higiênico-sanitária de amendoim exportado.

A implementação da nova regulamentação desburocratiza e simplifica a certificação sanitária do produto exportado para empresas com alto nível de conformidade, acima de 90%, bem como traz aumento de competitividade na exportação de amendoim para União Europeia (UE).

Para o diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal, Glauco Bertoldo, o atual nível de excelência no comércio internacional de amendoim se deve ao comprometimento e investimento realizado pela indústria exportadora. “Em cinco anos, saímos de um cenário de 43 interceptações de produto irregular exportado para apenas três em 2020. No mesmo período, as exportações brasileiras do produto mais do que dobraram. Agora, aumentaremos a competividade do produto brasileiro simplificando os processos de certificação para agentes que possuam nível de conformidade acima de 90% em seus processos de produção”, destaca.

9) As 100 maiores empresas do agronegócio brasileiro em 2020

Em um ano turbulento por causa da pandemia do coronavírus, poucos setores escaparam da crise. O agronegócio foi um deles, conseguindo manter o bom ritmo de produção dos últimos anos, surpreendendo com uma safra recorde e exportações aquecidas como reflexo da valorização do dólar. “O ano de 2020 vai entrar para a história do agronegócio. Tivemos um consumo de alimentos firme no mercado interno e no externo, puxado especialmente pela demanda asiática e pelo câmbio. A desvalorização do real deixou o nosso produto muito competitivo”, afirma Marcos Fava, professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FEA-RP/USP) e da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP).

A safra de grãos 2019/2020 (plantada em 2019 e colhida neste ano) bateu o recorde de 257,8 milhões de toneladas, com crescimento de 4,5% em relação à temporada anterior, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Os números provam que o agronegócio não pisou no freio durante a crise e seguiu trabalhando, evitando o desabastecimento durante a pandemia.

10) Pirelli lança plano industrial para atender mercado de carros elétricos

A Pirelli anuncia nesta quarta-feira um novo plano de negócios para os próximos quatro anos. A fabricante de pneus pretende investir em produtos de alto valor e, assim, atingir novas metas financeiras. Os novos produtos voltam-se, principalmente, a uma tentativa de expandir a participação no mercado de equipamentos originais para veículos elétricos.

11) Carrefour inaugura as primeiras lojas sem funcionários

O Carrefour anuncia suas primeiras lojas totalmente autônomas no Brasil: uma localizada no coworking CoW, no Brooklin, na cidade de São Paulo, e outra no condomínio residencial Domo Life e Prime, em São Bernardo do Campo. Ambas levam a bandeira Carrefour Express.

As lojas oferecem uma experiência de compra sem mediação humana. A compra em uma loja autônoma Carrefour Express se inicia com o celular em mãos, bastando o cliente abrir o aplicativo Meu Carrefour, selecionar o ícone Scan & Go e aproximar o QR code na catraca ou na porta para liberar sua entrada à unidade. Depois, para iniciar as compras, o consumidor deve usar o Meu Carrefour para scanear os produtos que deseja comprar, fazendo com que eles sejam inseridos em seu carrinho virtual.

—-

Por hoje é isso. Esperamos que tenham uma excelente Páscoa, com amor e cuidados com a saúde.

Deixem seus comentários abaixo e até logo!!!

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao Blog