Clipping EGA – 15/06

Voltar ao Blog

Clipping EGA – 15/06

Na última sexta-feira, os aeroportos americanos ultrapassaram a marca de 2 milhões de pessoas em trânsito, desde o começo da pandemia em Março de 2020 não chegava a este número. O setor do turismo foi um dos mais afetados e, com alto número de vacinados nos EUA, o número vem crescendo aos poucos.

A União Europeia decidiu permitir a entrada de viajantes que tenham recebido a segunda dose da vacina ao menos 14 dias antes de viajar. A regra vale para vacinas aprovadas pela agência sanitária europeia, mas países do bloco também podem ampliar a permissão para imunizantes aprovados pela Organização Mundial da Saúde, como é o caso da CoronaVac.

Considerado de “especial risco epidemiológico”, o Brasil pode continuar isolado de grande parte do mundo por causa do descontrole da pandemia e a quantidade grande de variantes que circulam pelo território. Segundo especialistas ouvidos pela BBC News Brasil, para que as portas de EUA e Europa voltem a se abrir a turistas brasileiros, o país possivelmente precisará cumprir ao menos três critérios: Reduzir taxa de infecções por 100 mil habitantes, controlar o surgimento de variantes e acelerar a vacinação. (Leia mais)

Abaixo, deixamos o nosso Clipping EGA, principalmente trazendo matérias do setor de Portos e Logística:

1) MP específica é caminho mais curto para prorrogação do Reporto

Para empresários do setor portuário, caminho via medida provisória do DT-e pode demorar mais tempo porque depende de sanção de emenda. Eles avaliam que solução pelo BR do Mar ou no texto da Reforma Tributária também são difíceis de sair no curto prazo.

2) Importação de insumos por indústria de transformação sinaliza crescimento

O avanço nas importações de insumos pela indústria de transformação em maio sinaliza perspectivas de crescimento nessa atividade nos próximos meses, segundo os dados do Indicador de Comércio Exterior (Icomex) do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). A indústria de transformação aumentou em 47,9% o volume importado de bens intermediários em maio deste ano ante maio de 2020.

O dólar demonstrava leve tendência de alta ante o real nesta terça-feira (15). Às 10h01, a divisa norte-americana avançava 0,23%, a R$ 5,0820. Internamente, o mercado aguarda a reunião do Copom que deve sacramentar mais uma elevação na taxa básica de juros, a Selic.

Além disso, Comissão de Minas e Energia da Câmara debate a crise hídrica no país e a Comissão de Meio Ambiente do Senado realiza audiência pública para avaliar a privatização da Eletrobras.

Investidores também aguardam a reunião do Fed, que começa hoje e será concluída na quarta-feira. Não há previsão de mudanças na política monetária, mas o BC americano irá divulgar novas projeções econômicas e avaliar o quadro atual nos EUA, em meio a preocupações com a inflação doméstica, que está em seu maior patamar em quase 13 anos.

Nos últimos meses, cresceram temores de que pressões inflacionárias possam levar o Fed a antecipar a normalização de sua política, à medida que os EUA se recuperam com vigor dos choques da pandemia de Covid-19.

 

4) Empreendedoras foram mais afetadas pela pandemia, diz pesquisa do Goldman Sachs

As mulheres empreendedoras foram as que mais sofreram com os impactos econômicos da Covid-19 no Brasil, segundo a pesquisa ‘WomenNomics: O impacto da Covid-19 em 10 mil mulheres e 10 mil pequenos negócios’, feita pelo Goldman Sachs.

A receita das empresas lideradas por mulheres teve queda de 66%, e os principais motivos foram a jornada dupla de trabalho e as tarefas domésticas, bem como níveis mais baixos de adaptação às ferramentas digitais para aumentar o potencial de seus negócios.

 

5) Cobre verá um boom com energia renovável

A convergência da demanda da retomada pós-pandemia e de descarbonização do mundo com possíveis problemas de fornecimento tem levado muitos a saudar a chegada de um novo superciclo das commodities

 

6) Retomada de feiras e eventos deve acontecer em 2022

Executivos do setor de viagens corporativas esperam uma retomada do mercado de eventos e feiras de negócios apenas em 2022. Pesquisa mostra que 41% das empresas visualizam esse prazo para retomar participação em eventos. Em compensação, acredita-se que o mercado verá a demanda de viagens de negócios que aliam lazer crescer – principalmente pela expansão do trabalho remoto.

7) Com alta do aço acima de 100%, Fiesc sugere redução da tarifa de importação

Entre os preços nas alturas do boom mundial das commodities está o do aço, que para diversas indústrias catarinenses subiu mais de 100% nos últimos 12 meses. Em reunião virtual com o Ministério da Economia, nesta segunda-feira, o presidente da Federação das Indústrias de SC (Fiesc), Mario Cezar de Aguiar, sugeriu a suspensão temporária da tarifa de importação. A pasta foi representada pelo secretário Bruno Portela. Ficou acertado que a Fiesc vai encaminhar a sugestão à Câmara de Comércio Exterior (Camex), que é quem decide sobre as alíquotas.

8) Logística para exportação de minério se posiciona para atender a aumento da demanda

A perspectiva de crescimento da receita das exportações de minério de ferro do Brasil em 2021 e a demanda cada vez maior da China — nosso principal comprador — provoca uma indagação: a quantas anda a logística deste setor? Ferrovias, rodovias, terminais portuários estão preparados para garantir o transporte do principal produto que passa pelos portos brasileiros, representando 52% do volume total de granéis sólidos?

“O minério de ferro está vivendo um novo boom. E isso afeta diretamente a logística”, afirma o diretor de relações corporativas e sustentabilidade do Porto Sudeste, Ulisses Oliveira. “A economia chinesa não apenas foi retomada como voltou a crescer e o câmbio está favorável. Mas isso tem impactos positivos e negativos para o setor”.

 

9) Imetame projeta complexo portuário de R$ 1,7 bilhão no ES

O grupo Imetame, do Espírito Santo, deverá dar início em breve à construção de um complexo portuário privado em Aracruz. A empresa acaba de receber a última licença necessária para começar as obras, que demandarão investimento de R$ 1,7 bilhão.

A construção deverá durar três anos, mas a expectativa é que em dois anos e meio a operação possa iniciar de forma parcial, afirma Cristiane Marsillac, que acaba de assumir o comando da divisão de logística do grupo. A executiva já foi presidente da Mercosul Line e da Transpetro.

 

—-

Espero que aproveitem o Clipping desta semana!

Deixe seu comentário abaixo e nos falamos em breve.

Excelente semana a todos!

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao Blog